Bolos fenômenos: confira 3 tendências de bolos no setor de confeitaria

Piscininha, Vulcão e Tsunami são os novos queridinhos das padarias do Grupo Mateus

1/1

O mercado de confeitaria, assim como os demais dentro da gastronomia, busca sempre se reinventar. Novas decorações, sabores e técnicas surgem a cada ano, surpreendendo o paladar e conquistando novos apreciadores.


Em 2020, as tendências que mais chamam a atenção são os bolos “fenômenos”, que não se destacam apenas pelos nomes diferentes, mas, principalmente, por suas apresentações cheias de criatividade. Vulcão, Piscininha e Tsunami são os nomes desses fenômenos da confeitaria.


Onde encontrar?


Essas delícias podem ser encontradas no setor de padaria dos Spazios Cohama e Renascença do Grupo Mateus. “Esses três bolos estão na linha de frente da confeitaria e a aceitação do público tem sido bem positiva. São bolos bastante recheados, com a massa amanteigada e ótimas opções para aniversários”, revela o chef da confeitaria do Grupo Mateus, Chef Buiu.


Além de estarem em exposição nas padarias, essas tendências podem ser adquiridas por encomenda. O chef Buiu indica os passos. “Esses três tipos de bolos podem ser encomendados nas lojas da Cohama ou Renascença, com 48 horas de antecedência. Basta chegar no setor de confeitaria e informar o modelo, tamanho e sabor que a gerente nos repassa e produzimos um bolo sob medida para nossos clientes”, garante o chef.


Vulcão, Piscininha e Tsunami: qual a diferença?


Além de deliciosos, os três bolos “fenômenos” são fáceis e práticos de preparar, mas há fatores que os diferenciam e os tornam singulares.


O bolo Vulcão, por exemplo, tornou-se febre nas redes sociais com a cobertura molinha e abundante, que escorre ao primeiro corte da massa, além de ser uma versão turbinada dos bolos da vovó servidos com calda extra, ainda quentinha. De forma geral, o bolo em si não tem mistérios, a dica está na escolha da forma, que deve ser redonda com buraco no meio. Já na hora do recheio, é só caprichar na quantidade para que ela preencha o centro vazio até transbordar sobre a massa.

Já o Piscininha ou simplesmente piscina, apesar de não ter nome de um fenômeno natural, é do tipo de doce que faz a boca encher de água só de olhar. Ele é mais um do tipo que transborda na primeira fatia. A receita leva cobertura até o topo, daí o nome. O preparo da massa é o mesmo, mas o que diferencia essa delícia das demais é o formato da forma e seus recheios. O modelo de forma usado no preparo é o ballerine, com um desnível proposital que é obtido ao se adicionar o recheio, que pode ser de doce de leite, brigadeiro ou, até mesmo, com cremes de frutas. O ideal é que o sabor escolhido para a massa combine com o recheio.

O bolo Tsunami, por sua vez, faz sucesso com vídeos hipnotizantes nas redes sociais. Ao ser retirado de sua embalagem, o bolo “explode” e sua cobertura transforma completamente a aparência da sobremesa, tendo o mesmo efeito do fenômeno natural. Diferente dos outros, a forma para assar a massa basta ser a convencional redonda. Já a cobertura, o ideal que seja um pouco menos consistente, para que o efeito de transbordar seja completo. Outro detalhe do bolo é o uso do acetato, usado para segurar o recheio antes do consumo.

© 2020 by Takashi Comunicação