Isolamento social aproximou pets e seus donos

Vendas de artigos para animais domésticos aumentou durante a pandemia

1/2

Na casa da jornalista Ana Paula Azevedo, os melhores amigos da família são os cães labradores "Nala" e "Morena", que têm um tratamento mais do que especial. "Elas são da família, desde o dia em que chegaram, a gente compra a melhor ração e os brinquedos mais divertidos pra elas", conta a jornalista.


A pandemia colocou toda a família da Ana Paula em isolamento, mas foi o pai dela - aposentado - quem se aproximou ainda mais dos pets. "Ele não podia sair de jeito nenhum por ser idoso, foi aí que o vínculo entre eles ficou ainda mais forte. Agora elas só querem comer a ração se ele for lá botar na vasilha, gerou uma ciumeira na casa", brinca Ana Paula.


Os pets foram fundamentais pra muita gente durante essa pandemia, principalmente, pra quem não podia sair de casa de jeito nenhum. O cuidado com os melhores amigos da casa - sejam eles cães ou gatos - pode ser sentido no aumento das vendas de itens para esses animais.


Neudson Costa, Gerente de bazar do Grupo Mateus no Pará, explica que, em alguns casos, as vendas mais do que dobraram. "Quando a gente analisa itens como sachês de ração pra gato, as vendas subiram 210% em relação ao ano passado. Esse número mostra que o cuidado aumentou e a gente acredita que foi porque essas pessoas estão passando mais tempo em casa com seus pets", comenta Neudson.


O crescimento foi notado em todo o setor de pets: sachê pra cães (70%), brinquedos, coleiras e acessórios (89%), ração em pacotes (60%) e reforçou ainda mais a preocupação em manter o estoque abastecido e os preços atrativos.


"Sempre temos promoções, facilidade de pagamento e nos itens de pet o cliente nem precisa entrar no salão de vendas. A gente disponibiliza as rações em um quiosque do 'Mateus Mais' no nosso estacionamento, isso facilita bastante a vida do nosso cliente", conta Edivan Maciel, Gerente do Mix Mateus Pedreira em Belém.

© 2020 by Takashi Comunicação